VÍDEOS DO GRÃO MESTRE ITAGIBA VITORIO

Loading...

Quem sou eu

Minha foto
Doutor Honóris Causa em Educação e Artes Marciais o Grão Mestre Itagiba Vitorio é brasileiro, natural de Santana do Livramento/ RS, filho de Vitório Vieira Dias e Terezinha da Silva Dias, nasceu no ano de 1965. Mestre de Taekwondo e Hapkido, Profissional de Educação Física, Jornalista Profissional, Bacharel em Filosofia Organizacional e Policial Militar inativo Brigada Militar). Iniciou a Pratica nas artes marciais em 1982 Na cidade de Passo de Los Libres-Argentina. Formou-se Faixa Preta em 1988. No ano de 1999 e 2000 foi um dos fundadores da WSHF (World Sports Hapkido Federation) juntamente com Grão Mestre Kang, criando em 2001 a Federação Rio Grandense de Hapkido. O Mestre Itagiba Vitorio no ano de 1995 deu inicio ao Projeto Taekwondo Educar no Ginásio Nenezão na cidade de Sapiranga e no ano de 2000 começou o Projeto Hapkido Educar na Escola Frederico Linck na cidade de Guaíba.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

ENTREVISTA DADA PELO PROFESSOR JAYME NA RÁDIO POPULAR DE TEUTÔNIA

O Professor Jayme ha 05 anos em Teutônia representou o estado e o país nos Jogos Mundiais na modalidade do Hapkido, hoje 13 de agosto terça feira saiu uma pagina inteira sobre o atleta Jayme na página 4 do caderno de esportes do Jornal da Cidade.

Repórter... Quantas artes marciais existem?

Professor Jayme... Artes marciais existem várias, conhecidas nem tantas, é da natureza do homem se defender e o Hapkido é uma delas e esta em processo para um dia se tornar olímpica.

Repórter... Quais artes marciais o professor pratica?

Professor Jayme... Além do Hapkido sou faixa preta em Taekwondo, Jiu Jitsu e Muay Thai.
Repórter... Qual foi o processo seletivo que participou para ir aos Jogos Mundiais?

Professor Jayme... Participei de duas seletivas para ir aos Jogos Mundiais e ganhei na minha categoria de peso.

Repórter... Das quatro modalidades, qual delas é a mais complicada e mais disputada?
Professor Jayme...  Sem sombras de dúvida é o Hapkido, por que tem chutes socos, quedas e técnicas de solo.

Repórter... Como se preparou para os Jogos Mundiais?

Professor Jayme...  Para a minha sorte tive o amparo de professores campeões mundiais para participar dos World Games de 01 a 04 de, treinei bastante, no CETE e na minha Academia, além de falar na alimentação e suplementação que me ajudou bastante.

Repórter... Quais foram as técnicas usadas para derrotar os adversários?

Professor Jayme...  Usei várias táticas de derrubar por causa do Jiu Jitsu, procurei levar a luta mais para o solo por causa dos chutes rápidos que os atletas adversários estão usando no Hapkido, só que temos poucos segundos para levar ao solo e para finalizar.

Repórter... Uma vez o adversário na lona o que vale?

Professor Jayme... Na verdade tem as quedas que antes de levar ao solo valem pontos e se imobilizar ou se somar 9 pontos a mais se vence a luta.

Repórter... Como está o Hapkido a nível de competição?

Professor Jayme... Eu gostaria de frisar muito para o que o hapkido cresça muito a nível de competição os organizadores estão tendo muito cuidado com a integridade física dos atletas, a Confederação do Brasil e de Hapkido a Confederação Panamericana de Hapkido estão cuidando muito para que não haja lesões, por isso tem muita proteção. Para fortalecer este esporte tem de ser através de regras e disciplinas, tem professores que confundem muito sobre competição e competitividade, na verdade a competição gera violência, mas isso não acontece nas modalidades olímpicas e pré-olímpicas.

Repórter... Para o Professor Jayme alunos que se rebelam e usam da arte marcial fora da academia, como reage a academia do professor?

Professor Jayme... Todos os alunos são orientados a usar a arte marcial para beneficio deles e contra atacar só se for preciso, caso não se adaptem a arte marcial e suas regras estes alunos serão expulsos até porque o nicho da academia é a família. Tem muitas famílias treinando.

R. Faça as considerações finais...


Professor Jayme... Gostaria de agradecer o apoio dado pelo presidente da Confederação do Brasil, o Grão Mestre Itagiba Vitorio, a minha família e todos os patrocinadores que propiciaram a minha participação nos Jogos Mundiais e para os que quiserem treinar o Hapkido, procurem a minha academia no Bairro Canabarro em Teutônia.

O RETORNO DOS ATLETAS MEDALHISTAS NOS JOGOS MUNDIAIS

Atletas recebidos pelo Secretário de Esportes e Lazer do estado
Kalil Sehbe no desembarque no aeroporto
Os atletas brasileiros em seu retorno ao Brasil foram recebidos pelo secretário estadual do Esporte e do Laser  Kalil Sehbe e pelo presidente da Confederação do Brasil, na quinta-feira (08) agosto, os atletas medalhistas do Hapkido nos Jogos Mundiais, que aconteceu em Cali na Colômbia. Kalil recepcionou o gaúcho de Teutônia, Jayme Quint Nero Demarco (ouro), e o curitibano Felippo Volpe (bronze) na chegada ao Brasil no Aeroporto Salgado Filho. Os atletas são os únicos medalhistas brasileiros nos Jogos Mundiais, competição que reúne as modalidades que não integram os Jogos Olímpicos.
Para o secretário Kalil, “essa é uma importante conquista que eleva o Rio Grande do Sul entre os campeões mundiais”, salientou. Kalil ainda destacou que o trabalho da Secretaria e da Fundação de Esporte e Lazer do RS será de fomentar cada vez mais o esporte de alto rendimento.
Participaram da recepção aos medalhistas, alunos do Projeto Hapkido Educar  do Centro Estadual de Treinamento Esportivo (CETE) e alunos da Academia do Professor Jayme de Teutônia.

Os atletas Jayme e Felippo representaram a Federação Rio Grandense de Hapkido e a Confederação Brasileira de Hapkido (CBHO) nesse evento que aconteceu pela primeira vez na América do Sul e teve a primeira participação do Hapkido como esporte de demonstração.
Após a recepção no aeroporto os atletas deslocaram até a sede da Federação Rio Grandense e da Confederação do Brasil de Hapkido, onde foram homenageados com a medalha do Mundial de Hapkido WSHF e posteriormente visitaram os alunos do Projeto Hapkido Educar no Programa Interagir do Sport Club Internacional.
Para Jayme e Felippo as medalhas conquistadas, vão trazer uma abertura para o Hapkido Esportivo e poderão dar uma visibilidade aos futuros patrocinadores que por ventura venham a apoiar o Hapkido.


quarta-feira, 7 de agosto de 2013

A FALTA DE ÉTICA NAS ARTES MARCIAIS

Começo aqui neste artigo falando sobre a falta de ética dos “professores” e “mestres” nas Artes Marciais (que é uma minoria, mas que chega muitas vezes a prejudicar a maioria).

Observo que muitos praticantes com espírito do mal treinam e se formam “faixas pretas” com Professores e Mestres e após formarem-se, eles o abandonam como se nunca tivessem conhecido o seu educador, e o pior, muitas vezes ainda saem falando de quem os orientou na sua caminhada a tão sonhada e almejada Faixa Preta.


O pior “faixa preta” é aquele que mencionei acima e o pior “mestre” é aquele que muitas vezes por míseros reais pega este “faixa preta” deslumbrando os míseros reais que este venha a dar pelo pagamento de uma filiação e vislumbrando um Exame de Faixa, mas ai vem o pior, o “faixa preta” só queria a certificação porque quanto mais certificado ele tiver (na sua pequena visão de ótica) ele vai ser o maioral. Voltando ao “mestre”, este além de pegar o “faixa preta” desonesto ele nem sequer procura pegar o telefone e falar com o Educador anterior do “faixa preta” para saber a vida regressa deste.


Muitas vezes o “faixa preta” antiético consegue colocar os dois mestres, o antecessor e o sucessor, um contra o outro, através da fofoca onde o mestre vislumbrado passa a acreditar na inverdade falada.


Na verdade o que falta nestes “mestres” é a ética, vergonha na cara e coragem de não pegar para o seu quadro de alunos estes “faixas pretas”.


A falta de ética nas artes marciais ela pode ser vista também através da inveja, quando alguém sem competência começa a falar mal do trabalho do competente colocando muitas vezes em dúvida o trabalho deste.


Como sou formado em Filosofia e estudamos muito a ética, passo abaixo para os senhores conhecer, já que ela esta faltando a muitos “professores e mestres”, até porque muitas vezes o fofoqueiro antiético ele usa a falta de ética para prejudicar o outro.


O antiético procura se chegar próximo ao outro como se fosse amigo só para usurpar e depois através de picuinhas e fofocas, desestabilizar esta amizade.


A ÉTICA

A palavra ética se origina do termo grego ethos, que significa "modo de ser", "caráter", "costume", "comportamento". De fato, a ética é o estudo desses aspectos do ser humano: por um lado, procurando descobrir o que está por trás do nosso modo de ser e de agir; por outro, procurando estabelecer as maneiras mais convenientes de sermos e agirmos. Assim, pode-se dizer que a ética é responsável por nos guiar entre o que é "bom" e do que é "mau". Bom e mau, ou também, Bem e Mal, entretanto, são valores que não apresentam, para o ser humano, um caráter absoluto. De acordo com o tempo e a época nas mais diversas civilizações, várias interpretações foram dadas a essas duas premissas. A ética acompanha esse desenvolvimento histórico, para que isso sirva de base para uma reflexão sobre como ser ético no tempo presente. 
Ela também nos remete a como esses valores se aplicam no relacionamento interpessoal, pois a noção de um modo correto de se comportar e posicionar na vida pressupõe que isso seja feito para que cada um respeite outro e conviva em harmonia. A ética, portanto, trata da convivência entre seres humanos na sociedade. Num sentido mais restrito, ela se restringe às relações pessoais de cada um e as regras para que isso flua de maneira natural e sem crises. Num sentido mais amplo, já que o homem é um ser social e não consegue viver isolado em uma ilha, a ética é possivelmente a área mais prática da filosofia. 

Como vimos quando falta a ética a alguém, este vira um ser sem caráter, e este se torna uma pessoa sem moral e sem princípios.


A Faixa Preta para uma pessoa despreparada e o Titulo de Mestre para alguém desqualificado são as graduações mais perigosas nas Artes Marciais, para quem as recebe, pois pode ser a corda para se enforcar e o poço para se afundar. A humildade e ética tem de estar presente para todo o sempre em sua vida.


Cuide quando você formar um faixa preta e lembre-se: Ele será o seu representante ele será a sua imagem.


Quando você pegar um faixa preta de um outro mestre, este virá cheio de vícios e de malandragem e muitas vezes cheio de sacanagem.


Forme você o seu Faixa Preta e torne ele sua imagem e semelhança e o dia que ele lhe deixar, acontecerá o seguinte: “Se ele fizer coisas boas, foi por sua formação e se ele fizer coisas ruins, ele não está mais com você”.


CUIDADO: Existem muitos "mestres" por ai sem nunca ter formado um aluno, e sem nunca ter treinado uma Arte Marcial.


Obs.: Se reproduzirem este texto, citem a fonte, obrigado.


Grão Mestre Itagiba Vitorio 7º Dan HKD e 5º Dan TKD

Bacharel em Filosofia, Profissional de Ed. Física e Jornalista.